BRASIL, Sudeste, Mulher
MSN - jhecruz.arte@hotmail.com

 

    Comentários Abertos
  Liliane Prata
  Luís Fernando Veríssimo
  Escritos Humanos
  Idéias Despedaçadas
  Olhe o céu
  Goiabas Verdes Fritas
  Informação em Cores
  Volume Control
  Hialoplasma
  Reformatório
  Cinzeiro Cheio
  AnaJuu.Blogger
  Casmurro Sem Teto
  Confessions & Confusions
  Discreta e Confusa
  Café do Dom
  Diário de um PM
  Miss Sunshine
  Toda Menina
  Menta e Minduim
  Li Du Surf
  Pudding de Lait
  Garota Esquisita
  Além da Embalagem
  Trabalho em Comunicação Social etc
  Diarréia Verbal
  Sorvete
  Mundo Efêmero
  Themis Theory
  Gabriela Guerra
  Pedaços Meus
  Final Destination
  Who's Gabriela
  Pizza Laranja
  Pseudologia Fantástica
  Ree


 

 
 

   

   


 
 
Vidas Ilustradas



De Rui Barbosa Sa-Silva ao Guiness Book

No final do século XIX nos Estados Unidos, durante os intervalos das peças de teatro, havia o chamado MC (Mestre de Cerimônia), que fazia piadas para distrair a plateia enquanto esperava.

Entre os anos de 1950 e 1960, o MC foi incorporado nas casas noturnas americanas. Esse tipo de apresentação ainda não era conhecido como “Stand Up Comedy”, mas sim como “One Show Man”, em que o humorista pode utilizar da criação de personagens, e não precisa, necessariamente, a piada nascer do factual. Desse período umas das muitas revelações foi Woody Allen.

Entretanto, foi na década de 1970 que o gênero se globalizou. No Brasil, o responsável por trazer o humor “One Show Man” foi José Vasconcelos, que ficou famoso pelo papel do gago “Rui Barbosa Sa-Silva” da Escolinha do Professor Raimundo, que por sua vez tinha como carro chefe do programa o humorista Chico Anysio. Este e Jô Soares foram os personagens que popularizaram o “humor de cara limpa”, além de outros gêneros, no Brasil.

Apesar disso, na década de 1990 esse tipo de humor desacelerou no país, porque a maioria dos comediantes apostava na comédia para se lançarem como atores, cantores, entre outras profissões artísticas. Já no fim de 1990, no Prêmio Multishow do Bom Humor Brasileiro, dois nomes foram vencedores pela primeira vez com o que se chama hoje de “stand up comedy”: Diogo Portugal, em 1996, e Bruno Motta, em 1998, que se uniram com Fernando Ceylão e formaram o espetáculo Risorama apresentado por Nany People.

A televisão também ajudou a popularizar o “stand up comedy” primeiro com participações em programas como “Altas Horas”, “Programa do Jô” e “Domingão do Faustão”, e depois com programas de “stand up comedy”, como o CQC (Custe o Que Custar) da TV Bandeirantes.

Contudo, os humoristas acreditam que o fato mais importante para explicar este “boom” do gênero foi o advento da internet. Segundo Bruno Motta - comediante de 29 anos que entrou para o Guiness Book, com a maior apresentação de “stand up comedy” do mundo, com duração de 38 horas e 12 minutos – : “Você não precisa mais da televisão, a internet está aí e é mais democrática, a gente conta com o boca a boca”. O humorista Maurício Meirelles, de 26 anos, inclusive diz que “o stand up no Brasil só deu certo devido à internet”. Ambos fazem parte do grupo “Seleção do Humor – Stand Up”.

Gabriela Mendes, estudante de 16 anos, Suellen Galhego, atendente de telemarketing de 22 anos, e Camila Gitahy, estudante de 17 anos, se conheceram em espetáculos de “stand up”. Os próprios humoristas as conhecem e têm piadas direcionadas a elas, a chamada “primeira fila”. Elas contam que gostam do estilo “stand up” devido a facilidade de entendimento. “Não é preciso pensar muito para entender o que eles dizem, e ao mesmo tempo é muito inteligente”, confirma Gabriela.


Da esquerda para direita Suellen Galhego, Bruno Motta,
Gabriela Mendes, Maurício Meirelles e Camila Gitahy

 

 



Escrito por Jhé Cruz às 10:33:29 AM
[   ] [ ]





[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]